29 de dezembro de 2013

QUE 2014...


Amigos...

 No vídeo acima, a cidade de Amsterdam hoje e ontem. Mesmo que você não entenda o inglês, as imagens falam por si. Era assim uma RECIFE, umas décadas atrás. E hoje é outra coisa.

Que em 2014, todos nós estejamos ainda mais ativos para chegarmos a ser a AMSTERDAM DO BRASIL. Sem metas ambiciosas, não chegamos a lugar algum!

COMENTEM!!!

26 de dezembro de 2013

ANJOS...


Anjos existem... não acreditem em quem negar isso!

Amigos...

Existem experiências na vida que não são facilmente descritas, apenas podendo ser sentidas quando vivenciadas.  Tentarei descreve uma dessas...

O compositor alemão WAGNER é um dos meus prediletos.  Especialmente as peças em coro.  Como parte de um processo de higiene cerebral pós natalina, sai pedalando e ouvindo Wagner no mp3, o que me permito apenas na ciclofaixa móvel!  Tenho uma pequena seleção, inclusive uma ópera chamada TANNHÄUSER.

Nesse vídeo, uma parte da peça chamada de O CORO DOS PEREGRINOS é cantada por um grande coro de Hong Kong.  Atenção então ao que segue o terceiro minuto, quando os peregrinos dão ALELUIA.    


No dia 25 de dezembro, dia de Natal, fui pela ciclofaixa móvel pensando na vida enquanto ouvia minha seleção de Wagner.  Ao chegar a cabeceira da ponte Buarque de Macedo com Praça da República me deparo com esse "Papai Noel" ciclista.  Rapidamente consegui parar e começar a fotografar. 

Crianças de rua o viram de longe. Estavam na Rua do Imperador. Correram atravessando a rua sem nem olhar para ônibus e carros que passavam. Só consegui ver tragédias, que graças a Deus não aconteceu!

O Papai Noel parou na ponte e esperou as crianças.

Cercado por elas, ele começou a distribuir brinquedos NOVOS.  Eram umas 10 crianças, e todas saíram com brinquedos novos nas mãos. 

Impossível não se emocionar com o gesto e a coincidência.  Coincidência?! Será?!

COMENTEM...


24 de dezembro de 2013

NÃO TENHA IDÉIAS! ELAS "VAZAM"...


Amigos...

Uma vez li em algum lugar que existe um inconsciente coletivo, um limbo onde as idéias aparecem vindas de todo o lugar, e que algumas pessoas são mais dotadas para percebe-las. Um tal de Jung escreveu muito sobre isso! Weeeellllll... Acabo de me deparar com uma dessas idéias, e esse é o post de hoje!

A propósito de uma questão sobre espelhos retrovisores na página da Bicicletada de Recife no Facebook, comentei a minha crença de que a gente pedalando nas ruas passa a usar algo pouco usado, uma combinação de visão periférica, audição para detalhes e um APP CEREBRAL que avalia e conclui o que vem atrás da gente no tráfego, sua velocidade e possível agressividade, e se isso vai representar um risco para a gente.  Fiquei com essa idéia na cabeça.  Dei então uma pequena pesquisada, sobre a idéia de um BIKE RADAR.  E olha o que encontrei...

 
 Bike Radar by Daniel Smith from Dave Malouf on Vimeo.


Já criado.  E o cara fez tudo com silver tape, arduíno e um tinkerkit!
Jung tá com tudo!...

COMENTEM!!!

15 de dezembro de 2013

COM OS CABELOS AO VENTO!

Cabelos ao vento... não tenho cabelo, mas a careca gostou! kkkk
Foto: daqui...
Amigos...

Hoje fui bem cedo tomar um solzinho lá para bandas de Boa Viagem, via Ciclofaixa móvel... Cheguei na praia antes das 7!  Maravilha.. Olha o roteiro...

Não levei a câmera hoje.  Fui relaxar.

Na volta, já no Marco Zero, resolvi retirar capacete e boné, para sentir o "vento nos cabelos"! kkkkk Muitos acham arriscado pedalar sem capacete.  Muitos pedalam sem capacete.  É certo que se vc pedala à noite, pega grandes e movimentadas avenidas, ou pedala forte e com velocidade, o capacete é uma medida de segurança recomendada. O chato é que é uma falsa segurança. 

Mas como eu saio para aproveitar o dia, o sol, o prazer de pedalar a incríveis 10 km/h DE MÉDIA (pode dar uma olhada nos meus WORKOUTS no MapMyRIde) o certo é que corro um risco mínimo.  Claro que sempre se pode:

1) encontrar um doido;
2 ) ele bebeu muito;
3) ele insistiu em dirigir de volta da festa, achando que a bebedeira passou;
4) ele mora onde passa a ciclofaixa;
5) ele perdeu o controle do carro perto da ciclofaixa;
6)  eu estava na ciclofaixa sem capacete naquele exato momento;
7) e eu não percebi, nem tomei as minhas precauções, e ele me atingiu! 

Se isso acontecer é porque era chegada a minha hora.  Afinal, posso estar parado bem longe dalí, em casa, assistindo TV e ter um infarto.  Só se vai na hora chegada!

Próxima conquista: sair SEM levar capacete.

Quem quiser saber mais sobre o assunto, pode ler esses artigos sobre o assunto CAPACETE OU NÃO nesse link (em inglês).  Tem muita pesquisa feita, muita constatação de que o uso de capacete cria um clima de medo, de confronto, e ao mesmo tempo, oferece uma falsa sensação de proteção que não corresponde a proteção pífia que os capacetes realmente oferecem.  Resumindo, esse clima oferece uma barreira psicológica a expansão da pedalada, e que se não existisse, estimularia mais o uso da bicicleta e com isso traria muito mais benefícios para a saúde da população do que os capacetes trazem ao promover o medo.  Lembro que mais gente pedalando é o objetivo de quem pedala. Quanto mais ciclistas, mais ELEITORES votando em políticos que trabalhem em prol do uso da bicicleta no dia a dia.


E você, já experimentou deixar seus cabelos ao vento?

COMENTEM!!!

10 de dezembro de 2013

BOM DIA... BOA NOITE... OBRIGADO... POR FAVOR... COM LICENÇA...

VOCÊ É CARROCRATA? QUANTAS VEZES DEU UM BOM DIA OU BOA NOITE E AGRADECEU A QUEM ESTÁ TRABALHANDO PARA VOCÊ SE DIVERTIR?

Amigos...

Nascido e criado no Recife, de família classe média média, filho de funcionários públicos de médio escalão, recebi alguns ensinamentos simples como o ato de dar bom dia as pessoas quando as vê pela manhã ou saudar com um boa noite ao sair.  Cresci, mudei, fui para outras paragens, e 20 anos depois volto para encontar uma cidade temerosa, em que as pessoas perderam a civilidade, a educação normal.  Dar bom dia hoje em dia é receber um grunhido de resposta mal humorada.   Com certeza podemos ver a evolução da cidade menor onde as pessoas eram pessoas, amigos, vizinhos, para uma cidade gigante e individualista, onde somos números, ameaças, rótulos.  Somos motoristas, pedestres, motociclistas, ciclistas.  Somos do bem ou almas sebosas.  Somos desconhecidos, anônimos, passantes, populares.  Deixamos de ser pessoas.  Vítimas acuadas pela violência, pelas ações e interesses do poder público, cada vez mais desconectado com a população e com mais sede de elitização: carros maiores, mais vantagens financeiras, mais poder.   As pessoas da cidade se fecharam em torno dos seus, da sua vida, do seu caminho para se proteger.  Quem atravessa, impede ou dificulta o seu caminho, tem de ser avisado com buzinaços sem sentido, ameaças de jogar o carro em cima, vontade de matar alguém o que as vezes termina acontecendo.  Dias de fúria.

Mas nós, PESSOAS QUE PEDALAM, defendemos e queremos a bicicleta no dia a dia. Queremos mais respeito, queremos que nos vejam como somos, pessoas indo para o trabalho que escolheram a bicicleta para isso.  Queremos que o poder público nos considere nos seus planejamentos viários, nas leis que destinam espaço a bicicletários, sinalização, atenção. 

Mas agimos como os motorizados.  Nos escondemos numa impassibilidade, fechados em nosso mundo.  Corremos nas ruas durante a semana ou na ciclofaixa aos domingos, sem se importar se existem outros pedalando.  Metemos o som nas alturas enfiado nos ouvidos, criamos nosso universo particular, e ativamos o modo FODA-SE O MUNDO! Ficamos iguais aos motorizados agindo assim.

E só fazendo uma boa autocrítica, percebemos e também que é possível mudar isso, tirar os fones do ouvido, baixar a velocidade, sorrir, dá bom dia as pessoas que passam, contagia-las com alegria, prazer de pedalar na cidade, tranquilidade.  Viva a cidade mais leve, transforme a vida dos outros com um sorriso.  Agradeça ao pessoal que controla a ciclofaixa móvel, elas trabalham para você.  Somos muito melhores que os carrocratas trancados em seus aquários com vidros escuros e ar condicionado.  Somos a vida da cidade viva.  Somos nós que queremos e podemos mudar o mundo. 

Antes que eles ganhem algo com isso, você é quem vai se sentir recompensado por haver tomado de volta um pouco da civilidade que Recife já teve!  E se todo mundo ajudar, quem sabe não transformamos a cidade com mais amor e menos motor?!

COMENTEM!!!

8 de dezembro de 2013

CICLOFAIXA NOTURNA... FOI 10!

Amigos...

Foi um grande sucesso de público a ciclofaixa móvel NOTURNA DO BEM, ontem 7 de dezembro. Os usuários seguiram para o Centro para dar uma olhada na iluminação natalina. Pena que não está completa ainda, outra inauguração pela metade. Mas pelo menos a árvore de natal e algumas pontes já estão iluminadas... Melhor se a ciclofaixa tivesse contemplado outras regiões.  O PAPI NOEL ROSADO apareceu pedalando, despertando reações ambíguas. Umas crianças adoraram, ainda mais com pirulito grátis. Outras, caíram no choro, nem com pirulito perdiam aquele olhar assustado para aquela coisa esquisita vestida de rosa e com barbas brancas! KKKKK...

O ponto fraco mais uma vez foram os motoristas na região da Rua Amélia e Rosa e Silva. Incapazes de relaxar, buzinavam insistentemente para pressionar os guardas a abrirem a passagem por mais tempo para os carros, mesmo com uma longa fila de ciclistas esperando. Interessante como não entendem que a bicicleta já chegou e vai ficar. Quem anda de carro vai ter de aceitar isso. Não existe mais espaço para cantadas de pneu, altas aceleradas, buzinaços e agonias. A cidade é de todos e vai continuar sendo. E quanto mais cedo entenderem e aceitarem isso, melhor!

COMENTEM!!!

3 de dezembro de 2013

SOBRE ROUBOS E FURTOS

Armazém de bicicletas recuperadas pela Polícia de São Francisco/EUA.
Fonte: SF CHRONICLE

Amigos...

Estava lendo uma matéria interessante sobre o problema de achar o DONO de bicicletas recuperadas pela polícia de São Francisco (aqui o original completo).  Essas bicicletas são recuperadas após serem abandonadas pelos ladrões, pegas em blitzes, etc, e são armazenadas em um galpão.  O problema é que não existe uma forma de encontrar o dono legal delas.   Poucos são os ciclistas que se preocupam em anotar o número de série da bicicleta que acho ser o número do quadro, a única parte numerada que eu saiba!  Além disso, poucos fotografam a bicicleta e só guardam a nota fiscal de compra se for por conta da garantia e se comprar ela já montada.  Acho imprescindível ter a nota e algumas fotos da bicicleta e o número de série guardados.   Ele também cita interessante: o REGISTRO NACIONAL DE BICICLETAS (NBR) , um serviço que por pouco mais de 1 dólar ao ano, mantém um registro de sua bicicleta nos EUA.  Nós por aqui não temos algo assim.  Já vi e comentei algumas iniciativas na Dinamarca e na Holanda, usando chips RFID para marcar as bicicletas gratuitamente.  Com eles, a polícia saberá de quem é a bike bastando usar um equipamento já comum por lá para monitorar os carros, um leitor RFID.  As informações do dono ficam no chip, geralmente escondido no fundo do tubo do canote, e em outro locais de difícil acesso.

Agora vivendo em uma cidade como Recife, onde as "sombras sebosas" estão em todas as esquinas, um chip ou um serviço desses talvez fosse uma perda de tempo, porque nossa polícia não tem nenhum interesse em recuperar bicicletas ou mesmo em ouvir ciclistas.  Basta ver como são tratados os acidentes e os furtos no viaduto Joana Bezerra, um point do ladrões a metros de uma guarita de segurança da SDS.

Assim, melhor mesmo é registrar sua bicicleta com muitas fotos, de todos os detalhes, anotar todos os números que encontrar, levar no padre para benzer, passar no terreiro para deixar umas oferendas para seu orixá de fé, amarrar umas fitinhas, uns santinhos, uns cruxifixos, uma plaquinha do tipo JESUS ESTÁ LHE VENDO (para ver se incute algum remorso na alma sebosa), e usar toda e qualquer outra coisa que crie uma barreira, pelo menos espiritual e psicológica, na sua pedalada!

Vou logo avisando que depois de 20 anos de Salvador/BA, virei CUMPADRE DE OGUM! Ai de quem ousar levar a Trovão Azul! kkk.

Axé, e vamos pedalando!

COMENTEM!!!

1 de dezembro de 2013

COM CHUVA MESMO, FAZER O QUE?




Amigos...

Ultimamente tenho usado a bike nos finais de semana com muito prazer, com ou sem ciclofaixa móvel.  Mas confesso que pedalar na chuva tem de ter muito estômago. Eu sai hoje cedo, estava garoando.  Como pensei em pegar a ciclofaixa, coloquei a 9a Sinfonia de Beethoven no mp3, e fui!   Esperava pegar uma garoinha chata, talvez uma chuvinha aqui ou ali, então não levei o equipamento fotográfico.  Não é nem molhar enquanto pedalo, porque a bolsa tem uma capa e um saco plástico para garantir. Mas é que quando chove, fica difícil pensar em parar em qq lugar para fotografar.  Paciência!  Assim, fui mesmo relaxar e ouvir uma musiquinha, coisa que não faço normalmente no tráfego.  Acontece que São Pedro tinha outros planos, e "ligou a torneira" na Mário Melo.  Resumo, não sobrou nada seco: tênis com um litro d'água dentro, até a cueca molhada.  As coisas elétricas, estava em um saco plástico. O resto,  molhou tudo, olha a foto do material secando!



"TUDO" no varal!
Pedalar na chuva não é ruim, realmente.  Pelo contrário. Mas quem como eu usa óculos, sofre bastante.  Mesmo com um boné e a aba do capacete protegendo, a chuva vai minando a visão aos poucos.  No centro histórico, troquei o óculos, não tinha levado um pano seco dentro do saco plástico, coisa muito útil para os que precisam dos óculos para ver um palmo a frente da roda!  Hoje queria ter comprado aquele casaco que vi na Centauro um ano atrás, amarelo brilhante e (acho!) a prova d'água.  Bem, vamos indo.
O propósito desse passeio era verificar a existência de bicicletários em alguns pontos turísticos.  Ontem outro colega reclamou da falta de um no Museu da Cidade do Recife.  Hoje faço coro, a TORRE MALAKOFF também não tem infra para deixar a bicicleta!  Tem de ficar amarrada no portão, se deixarem ou nos postes na frente.  Mais uma falha!

De resto, vamos pedalando e olhando!

COMENTEM!!!

30 de novembro de 2013

ANIMÁLIA SOLTA!


via NELSON RODRIGUES DOS SANTOS/FACEBOOK

Amigos...

A propósito do vídeo que acabo de ver (esse aí de cima), reporto a quantidade de vezes que percebo a reação diametralmente oposta dos motoristas recifenses, a ANIMÁLIA destrambelhada!  Vocês conseguem imaginar isso acontecendo no Recife, o trânsito completamente parado para liberar uma faixa completa para a passagem de uma ambulância? E olhe que esse vídeo é tomado numa AUTOBAHN, uma autoestrada onde a velocidade É LIBERADA?!?!  Tinha de ser em um local onde faz tempo a luz iluminou a ANIMÁLIA e a fez dar um passo rumo a um estado mais evoluído!

VEJA, APRENDA E DIVULGUE.  Passe a frente, principalmente para aqueles amigos ANTAS que dirigem no tráfego como se estivessem numa corrida ANIMAAAALLLL!!!...

Aprende, ANIMAAAAAALLLLLLLLLLL!!!!!

COMENTEM, se já evoluíram!

29 de novembro de 2013

CADA VEZ MAIS...

Esperando para atravessar... todos os dias, pessoas querem usar a bicicleta no dia a dia. Cada vez mais gene já está usando, mas a cidade não tem respondido com obras que as contemplem... 
FOTO: Rogério Leite @ ABDIAS DE CARVALHO, EM FRENTE A CHESF
Amigos...

Observo um crescimento na quantidade de ciclistas que seguem para o trabalho todas as manhãs.  Um ano atrás, eles eram muito menos, e aparentavam ser de um nível econômico mais baixo.  Eram pessoas que não tinham opção, usando a bicicleta como alternativa gratuita de mobilidade, economizando o dinheiro da passagem de ônibus.  Essas pessoas transformam a cidade em uma grande ciclovia, entre 6 e 7 da manhã. Elas ainda estão aí, mas cresceu o número de pessoas com nível econômico mais alto, jovens na maioria, mas também pessoas de mais idade, seguindo todos os dias para seu trabalho, especialmente se for um trabalho localizado, fixo.  Os motivos todos sabem: menos estresse, menos problemas de deslocamento e estacionamento.  Mais qualidade de vida no final das contas.  A foto que ilustra esse post é bem típica. Uma garota e sua bicicleta, no canteiro central de uma grande avenida na zona oeste do Recife.  Provavelmente, trabalha na Chesf, a empresa do outro lado do muro.  Muitos profissionais dessa empresa usam a bicicleta no dia a dia.  A foto foi tomada de propósito para exemplificar que já foram alcançados os efeitos pretendidos pela implantação da ciclofaixa móvel, de expandir a relação das pessoas, motoristas e usuários, com a bicicleta e a cidade.  A cidade pulsa de usuários e mais usuários usando ou desejando usar a bicicleta, mas com medo do tráfego ou da insegurança.  Está na hora do poder público acordar e botar o trem na rua. Cadê o plano cicloviário prometido afinal?

COMENTEM!!!

LEGAL...QUERO UM TAMBÉM!




VIA ONDE PEDALAR

27 de novembro de 2013

PENSANDO POSITIVAMENTE NESSE FIM DE ANO! FELIZ NATAL!

24 de novembro de 2013

DÁ PARA VER? PARAMOS AONDE?




Amigos...

Um dos argumentos da implantação da ciclofaixa móvel nos finais de semana é permitir o acesso a equipamentos culturais e turísticos de forma mais agradável, via bicicleta.  O programa está bem implantado, passando por vários locais que vale a pena visitar de bike. Vamos ver alguns:
  1. Museu do Estado de Pernambuco
  2. Museu do Homem do Nordeste (perto!)
  3. Museu de Arte Moderna-MAMAM
  4. Caixa Cultural
  5. Centro Cultural dos Correios
  6. Centro Cultural do Banco do Nordeste
  7. Centro Cultural Santander
  8. Torre Malakov (perto!)
  9. Sinagoga Kahal Zur Israel
  10. Museu da Cidade do Recife (perto!)
E isso, sem contar alguns pontos comerciais como a Livraria Cultura, e pontos históricos como o Forte do Brum.
Mas o que abunda de opções, falta de desorganização.  Começando pelos horários.  Cada museu e espaço tem um horário diferente, alguns nem abrem aos domingos como o Museu da Cidade do Recife.  A maioria não abre nas manhãs de domingo, só depois do almoço, e fecham cedo.  
O segundo ponto e esse é mais doido ainda, é que apesar desses equipamentos estarem todos a serem alardeados como "conectados" a ciclofaixa móvel, não existem paraciclos ou bicicletários (ver slideshow acima).  Aliás, em alguns como o Museu da Cidade do Recife, nem ao menos um poste na frente para amarrar a bicicleta.  A Serttel está implantando paraciclos em  lugares absolutamente sem sentido como no cais do Paço da Alfândega, solto no espaço, sem ninguém para ficar de olho na bicicleta, enquanto lugares que precisam de um e onde as bicicletas ficariam mais bem guardadas e menos expostas, não tem nenhum!
Acredito que tudo isso é falta de coordenação geral, algum órgão misto estado-município e iniciativa privada, para sentarem, conversarem e decidirem um horário mínimo para operação dos equipamentos culturais em conjunto com a ciclofaixa móvel, uma decisão melhor sobre os paraciclos da Serttel poderem atender esses equipamentos, e mais divulgação do uso desses espaços com o uso da bicicleta .  Não me parece complicado, basta decidir e implantar!   Com a palavra, os órgãos competentes!

COMENTEM!!!

23 de novembro de 2013

AS PALAVRAS SÃO PODEROSAS...

Amigos...

"As palavras são poderosas.  Elas moldam a forma como vemos o mundo ao nosso redor".  Sob esse mote, a Treehugger.com comentou a forma como a mídia trata eventos mortais envolvendo ciclistas.  A propósito da morte do jogador profissional de squash, canadense, Adrian Dudzicki, por Aleksey Aleksev que usou uma BMW 325 guiada de forma perigosa e negligente, para atropelar o atleta enquanto seguia para seu treino pedalando. 

O comentário veio a propósito do uso da  palavra ACIDENTE para descrever algo que é na verdade uma negligência criminosa ao guiar um veículo.  Guiar um veículo sem atenção devida a todos os personagens que se movimentam nas ruas, considerando apenas a quem é igual ou maior que seu carro, é uma violência a qual pessoas do mundo todo estão submetidas, mesmo em países que consideramos de primeiro mundo!

A palavra ACIDENTE deve ser usada para descrever algo que não pode ser evitado, que não pode ser controlado. E a grande maioria dos eventos descritos como acidente, na verdade, mascara uma agressão violenta usando a força do carro contra alguém mais fraco, menos capaz de reagir.  É preciso que tenhamos isso em mente, até mesmo na hora de descrever eventos assim junto aos amigos, junto aos nossos familiares.  Acidentes acontecem, mas a grande maioria dos que envolvem ciclistas e pedestres, não pode ser descrito como tal, muito menos aceito como tal! 

Mudar a forma como descrevemos essas violências, vai nos ajudar a mudar o nosso mundo!

COMENTEM!!!

18 de novembro de 2013

CICLOINFRAESTRUTURA E NEGÓCIOS...

CICLOVIAS EM TODA A CIDADE!
Você e seus vizinhos estão preparados para isso
quando for na sua porta?


Amigos...

Um post no BIKE COMMUTERS de hoje, despertou o meu interesse em comentar sobre as relações entre a infraestrutura para ciclistas e os negócios.  Entendo que a grande maioria das cidades atuais não tem infraestrutura exclusiva para o ciclista, que tem muito ciclista que acha que isso não é preciso bastando ter respeito mútuo, assim como muitos que só usariam a bicicleta no dia a dia se houvesse uma rede de ciclovias. As opiniões são divididas, não existe consenso nem mesmo pelo mundo à fora, apesar de que algumas cidades que deram certo com a bicicleta no dia a dia possuírem uma boa infraestrutura para ciclistas.

A questão que o post levanta é sobre o impacto da troca de vagas de estacionamento nas ruas sobre os negócios comparando com essa mesma troca em bairros residenciais criados em torno do automóvel. 

Muitos negócios são dependentes de clientes MOTORIZADOS, ou foram concebidas como tal.  Avenidas fortemente "comerciais" são plenas de entradas para veículos na frente das lojas, muitas com pequenas áreas para estacionamento, quase sempre insuficientes.  A implantação de uma ciclovia cria uma "ameaça" aos negócios, na visão dos empresários, especialmente naqueles mais míopes.  Já ficou comprovado que isso não acontece.  Exceto se o negócio for voltado diretamente para o carro, como uma loja de equipamentos por exemplo, a implantação de vias exclusivas só aumenta o retorno das empresas como apontam estudos pelo mundo a fora.   Claro que normalmente isso sacrifica o acesso de pessoas motorizadas, mas o ganho com os clientes ciclistas é muito maior. 

Por outro lado, quando a troca das vagas de estacionamento por uma ciclofaixa ou ponto de aluguel de bicicletas públicas, a vizinhança se "espinha" toda.  Antes os veículos eram poucos, hoje muitas famílias, especialmente em bairros melhores, tem mais de um carro.  Mas nem as casas, nem os prédios, e nem mesmo as ruas tem uma infraestrutura que comporte tantos veículos, e o número continua crescendo. 

A questão em foco é sobre o uso mais adequado do espaço público, a quantas pessoas uma infraestrutura assim vai atender com as "cicloinfras", em detrimento do número de outras que não irá mais atender com vagas para os carros.  E claro, levando em consideração se esse uso é real ou apenas imaginado.  Uma rua ampla que ligue duas avenidas tem potencial para ter uma ciclovia que atenderá mais gente do que se tiver apenas algumas vagas de carros.  Mas mesmo assim, a discussão é bem ampla sobre a "perda" de vagas de carros para a cicloinfraestrutura, sugiro a leitura do post original e para aqueles mais interessados, a leitura do extenso artigo sobre isso que o post recomenda.

2 de novembro de 2013

RECIFE É CICLÁVEL?


Amigos...

O vídeo abaixo é sobre a cidade de Groningen, na Holanda. Uma cidade de 190 mil habitantes que na década de 70 implementou uma política de incentivo a bicicleta, evitar carros no centro, e transporte público em uma malha que evita passar pelo centro da cidade. Resultado disso, uma cidade com 50% da população andando de bicicleta.  O vídeo é em inglês, mas basta olhar as imagens!


Groningen: The World's Cycling City from Streetfilms on Vimeo.

Agora a questão do título: é possível fazer do Recife uma cidade ciclável? Groningen não tem uma qualidade mágica que a fez assim. Bastou apenas vontade política e planejamento, e pode ser feito em qualquer lugar.

Recife é uma cidade muito maior que Groningen, e muitos vão logo alegar que por isso não é possível.  Mas você que está lendo, pode perceber se a grande maioria dos seus deslocamentos está dentro do limite ideal de 5km, a cidade é ciclável para você.  Se isso ocorre com uma grande maioria das pessoas, Recife é perfeitamente ciclável. Mesmo que a distância seja maior, isso não invalida a proposta, porque pode ser agregado a outro modal, como o BRT ou VLT.  Recife é uma cidade plana, de clima quente mas constante.  Em muitos anos, o inverno é pobre, chove pouco.  Em alguns, chove até demais, mas na maior parte, podemos pegar uma bela praia em pleno inverno e torrando no sol forte(eu pego várias todos os anos!).  Sendo assim, porque não?

O poder público parece ter acordado, ainda de forma tímida, mas já pensando no incentivo ao modal para retirar carros das ruas.  Se devidamente planejada e incentivada, Recife pode ser a cidade mais ciclável do Brasil!

COMENTEM!!!

27 de outubro de 2013

DEVEMOS NOS REBAIXAR?

Cinquentinhas...
Foto: Roberta Soares/JC
Amigos...

Observo, a cada dia, um crescimento do número de ciclistas pedalando para o trabalho. Essa "pedra", eu tinha cantado que ia acontecer algum tempo atrás. Quanto mais carros, pior o tráfego,  e as soluções necessárias levam muito tempo, ainda mais quando o governo precisa tomar decisões impopulares para os "donos da rua"! Junte isso com o aumento dessas discussões sobre a bicicleta e a mobilidade na mídia impressa, e algumas iniciativas como a Bike-PE e a ciclofaixa móvel, que fomenta a bicicleta de forma lúdica,  e pronto, explicamos o crescimento.

 Esse aumento também tem acontecido, de forma ruim, nas motocicletas e ainda pior nas "cinquentinhas"!  Pior porque muitos dos seus usuários não gostam de seguir regras e tem nas mãos,  um veículo potente e ágil.  Eles não exigem a força das pernas e o fôlego para ziguezaguear feito loucos, e a falsa sensação de liberdade joga por terra qualquer resposta racional. O resultado vemos todos os dias nas ruas, na mídia e nos hospitais.

E mesmo assim tem ciclista que age do mesmo jeito. Sobe em calçadas,  roda perigosamente pelo contrafluxo, tira finos e desafia veículos mais pesados. Educação faz falta!  E essa precisa ser uma luta de todos. Não podemos entrar no mesmo esquema que gerou isso que aí está!  Não devemos deixar de lutar por uma cidade melhor!

"Nas lutas habituais, não exija a educação do companheiro. Demonstre a sua."
(do espírito de André Luiz!)

Comentem...

23 de outubro de 2013

ERA UMA VEZ O LAÇO...



Amigos...

Não sei vcs, mas já aconteceu do laço do tênis ficar preso numa das coroas da bike.  Toda vez que calço o sapato, dou nó duplo e soco o bolo dentro do tênis. Solução meia-boca, não chego na garagem do prédio, e o bolo já está de fora! Eis que inventaram uma solução: HICKIES... Veja o vídeo e manje que legal! Quer mais? Veja aqui!

COMENTEM!!!

21 de outubro de 2013

APPs PARA QUE TE QUERO?!?!



Amigos...

Bem, meu ciclocomputador venceu, foi-se, rompeu o cabo.  Pensei em comprar outro, fui de olho no wireless, nada de fios. Mas não rola, os que prestam estão caríssimos... com certeza, muito mais caros que um APP para o smartphone, especialmente nas versões FREE! Adoro versões FREE!

Well, baixei então o MOVE! BIKE COMPUTER e testei. Acho que é russo, mas fala português, basta escolher na instalação.  Legal, mas não muito preciso.  Baixei o MAP MY RIDE, onde já tinha conta mantida manualmente, e comecei a testa-lo. Preciso, cheio de "pra-que-issos", registra o mapa, bota no face, mas tem um defeito mortal: parece não encontrar todos os satélites GPS.  Corta minha pedaladas pela metade, todas às vezes.  Chato isso.  Muitas das minha pedaladas estão no site deles...paciência!  Pior é não saber se é celular velho ou o app com problema! Mas o MOVE! captava bem os satélites....

Ah, vamos dar uma luz para quem não entende nada disso: você que tem um smartphone com android, vai na loja de aplicativos e seleciona um dos existentes com as palavras chave "bike ride speedometer"... em inglês, porque é onde se acha tudo!  Instala e pronto: pode botar o programa para rodar e sair rodando na sua bike!  Alguns exigem que você crie uma conta, como o MAP MY RIDE.  Outros não, como o MOVE! Se você parar, o programinha percebe que você parou e dá um PAUSE automático.  Quando você reiniciar, o programinha recomeça.  No final, dá para ver o mapa com sua rota, suas médias e máximas. E tudo isso....

..."DE GRÁTIS"! kkkk

COMENTEM!!!


12 de outubro de 2013

À NOITE, TODO CICLISTA É PARDO...


Amigos...

A coisa mais louca do trânsito das nossas entulhadas cidades carrocráticas é um ciclista pedalando à noite, numa bicicleta negra, vestido de preto, sem luzinhas ou mesmo refletivos. Alguns por total desconhecimento de que são necessários. Outros porque acham que usar piscas, cores claras ou luminescentes, ou refletivos na bicicleta faz dele "árvores de natal" ou "palhaços". Concordo que o pedalar no dia a dia não deve precisar de roupas especiais. Mas, colocando-me no lugar do outro, que é muito mais fácil ver alguém iluminado do que algum "ninja do subúrbio" zanzando pelo meio do tráfego. Esse vídeo mostra um novo produto, algo que vc pode moldar e usar como cinto, ou atravessado ao corpo, para adicionar luminosidade e aumentar a visibilidade à noite. Esse produto saiu de uma muito bem sucedida startup.

Se você não tem grana para iluminar sua bike, arrume uns CD´s usados, fure-os com uma ponta de prego aquecida, e use presilhas para prende-los a sua bike. Você precisa entender que estando no tráfego, você precisa mais do que ver os carros, precisa também ser visto por eles!

COMENTEM!!!

10 de outubro de 2013

PORQUINHOS UNIDOS...

Lixo e sujeira nas margens do principal rio de Manguetown!

Amigos...

As pessoas limpas e ordeiras do Recife estão se omitindo de defender o certo, o bom, o limpo.  E quando as pessoas de bem se omitem, o mal impera.  Não discutimos porque temos medo.  O Recife acomodou a ideia de que quando um cidadão cobra uma atitude cidadã de outro, corre o risco de ser morto, de ser atacado, apesar de ser uma cobrança justa.  Afinal a rua é de todos, mas isso não significa que por ser minha eu posso fazer dela um chiqueiro, jogando meu lixo nas ruas para que alguém resolva.  Os motoristas fazem barbeiragens, os motociclistas avançam nas faixas de pedestres, muitos furam sinal ou usam o carro ou moto como arma atentando contra o cidadão.  Mas as pessoas fazem de conta que não é com elas. Até estranham quando alguém entra em defesa delas.  Reclamar, só em grupo, porque o indivíduo tem medo.  Falta coragem para agir.  Sobra omissão.

E assim, o Recife cantado como Veneza Brasileira está descendo para Manguetown como cantava o Chico Science.  Uma terra de urubus, onde quem não é nem tem asas, sofre e tem de conviver com eles.  A letra já dizia em...
Tô enfiado na lama /É um bairro sujo / Onde os urubus têm casas / E eu não tenho asas
Mas estou aqui em minha casa / Onde os urubus têm asas / Eu vou pintando, segurando as paredes / No mangue do meu quintal e manguetown
Andando por entre os becos / Andando em coletivos / Ninguém foge ao cheiro sujo / Da lama da manguetown (2x)
Esta noite sairei, vou beber com meus amigos... ha! / E com as asas que os urubus me deram ao dia / Eu voarei por toda a periferia
Vou sonhando com a mulher / Que talvez eu possa encontrar / E ela também vai andar na lama do meu quintal é / Manguetown
Andando por entre os becos / Andando em coletivos / Ninguém foge ao cheiro sujo / Da lama da manguetown (4x)
Fui no mangue catar lixo / Pegar caranguejo / Conversar com urubu
Mas os bons esquecem, aceitam, não discutem...

E os porquinhos cada vez mais unidos fazem da cidade letra de uma música real!

COMENTEM!!!

9 de outubro de 2013

MAIS, MAIS, MENOS...

Até um político entende um gráfico desses! Fonte: TREEHUGGER
Amigos...

A politicada gosta de números.  Gráficos, então, são maravilhosos! Especialmente quando são bem facinhos de interpretar, com resultados bem ÓBVIOS, que até um político entende!

Pois bem, o departamento de trânsito de NOVA YORK (atentem, não é um detranzinho qualquer! é na GRANDE MAÇÃ, gente!), onde eles fazem registro de coleta de dados quase como o mesmo cuidado com que transportam um coração para transplante, conseguiu demonstrar aquilo que todo mundo cicloativista fala: MAIS CICLOVIA, MAIS CICLISTAS, MENOS ACIDENTES! Olhem o gráfico e tirem suas dúvidas (CYCLISTS=CICLISTAS; BIKE LANES = CICLOVIAS; INJURIES=ACIDENTES - no caso apenas, acidentes sérios, e a extensão das ciclovias está em milhas!)...

Agora, você político, procurando apoio da sociedade, num momento que antecede aquele desespero perto do final da campanha no radio e na TV, já pensou em criar e votar leis de apoio aos ciclistas?!  Menos uso das UPAS, menos uso do HR, mais gente saudável... de quebra!

COMENTEM!!!

7 de outubro de 2013

ENFORNECITIVO UMEDESCENTE DEPURATÓRIO SUADORÍSTICO


TROVÃO AZUL, nova companheira, curtindo mais um dia "enfornecetivo" no Hellcife!
Genteeeeesssss!

A cidade do Recife afinal está no seu clima ideal, agora que chegou o sol, brilhoso, ENFORNECITIVO UMEDESCENTE DEPURATÓRIO SUADORÍSTICO! Domingão de sol, praias lotadas de tudo quanto é tipo de gente, passeio ciclístico do Sesc, passeata em Boa Viagem.  Gente demais nas areias, maré baixa, piscinas naturais cheias. 

Inegável que começamos o verão. 

A cidade virou um grande forno, com a gente já saindo suada depois do chuveiro!   Época que exige que se beba muita água, viva "caçando sombras" para se esconder do sol tórrido e sem nuvens, céu "azul de brigadeiro" aposentado!  A melhor época para pedalar na cidade, aproveitar a ciclofaixa móvel com gente de todo tipo.  Época de tentar consertar o corpo para botar a sunguinha ou o biquininho, depois dos pratos pesados do inverno, e aderir a saladinha, academia, malhação, de soluções mirabolantes para ficar com o corpinho sarado e malhado, com tudo em cima (a papada em cima dos peitos, os peitos em cima do bucho, e o bucho em cima do...kkkk!).

Nesse período vamos lembrar de beber água sempre. O corpo precisa de hidratação permanente.  Beba muita água ao sair de casa para pedalar, e não esqueça de levar água, bebê-la e repor o que bebeu. Melhor beber aos poucos, mas beber sempre, do que beber um litro de uma vez só.  Lembre-se de ao chegar de volta, beber mais água.  Vigie sua "descarga líquida", também conhecido como NÚMERO 1.  Se não sair parecido com o que entrou, beba mais água.  Se sair muito escuro, beba mais, e se não clarear, procure um médico. 

Tem quem ache que suar é ruim, feio, sujo. Mas é suando que o corpo bota para fora as toxinas, ajuda a manter a temperatura interna, evita a insolação.  Para suar, o corpo tem de estar hidratado.  Se você não está suando, seu corpo não tem água para se refrigerar, e pode lhe dar uma insolação braba!   Monitore seu corpo, e beba água. Evite usar antitranspirantes enquanto faz atividade física.  O corpo precisa se livrar das toxinas e faz  isso através do suor nas axilas.  Prefira usar apenas desodorantes que reduzem a proliferação de bactérias que causam mau cheiro.  Use roupas leves e de cores claras, bastante protetor solar, óculos de sol e chapéus. 

Agora é que pedalar ficou legal! Mesmo no clima "enfornecitivo umedescente depuratório suadorístico" do Recife!

COMENTEM!!!

30 de setembro de 2013

SERÁ QUE AINDA TEM JEITO?

Amigos...

Todos sentimos o grande problema da mobilidade hoje nas cidades do Brasil.  Recife não é exceção, pelo contrário.  Ande você à pé, de bicicleta, moto, carro ou ônibus, você está sujeito aos problemas simples do ir e vir.  Alguns mais, outros menos, mas todos tem na mobilidade, um grande problema diário.  Trajetos curtos, de 5 ou 7 km, em que você leva uma hora para fazer de carro em alguns horários.  Melhor ir a pé, pensa. Mas com as péssimas calçadas, os carros avançando em cima das faixas de pedestres, e os riscos a segurança patrimonial (assaltos e roubos), nem a pé é possível!
Todos se queixam, até eu aqui nessa crônica, dos problemas da mobilidade.  Mas o problema real é outro, a falta generalizada da educação social.  A grande parte das pessoas por falta de uma educação doméstica e formal, não tem um pingo de respeito pela vida em sociedade. Reclamam, mas jogam lixo nas ruas e canais.  Xingam, mas usam o pisca alerta para "quebrar" em qualquer lugar, "só por um minutinho".  Acham um perigo pedalar na cidade, mas são os primeiros a tirarem finos nos ciclistas.
A crise instalada é social. Uma série de governos corruptos, que sacanearam com a educação, pagando salários de prostituta em final de carreira, que não atraem talentos nem vontades para o ensino. Uma permissividade e falta de cobrança de méritos, uma irresponsabilidade de muitos pais que não educam seus filhos porque eles mesmos não foram educados, em algum momento tinha de recair sobre toda a sociedade, educados ou não!  O momento em que a animália nasceria, firme e forte. O momento em que ser justo, correto, seguir as regras e respeitar a todos, é ser idiota. O que vale nesse momento é a lei do mais forte, do mais descolado, do mais animal, do mais irresponsável.

Infelizmente, é esse o momento.

Apocalipse, para que? A cidade já tá um m... só!

COMENTEM!

19 de setembro de 2013

IMPERIUS CARRUS!

Av.Agamenon Magalhães.  Foto: WIKIPÉDIA
Amigos...

Não é de hoje que falo que o uso do carro tem um apoio quase doentio dos nossos governantes. Taí a redução do IPI, subsídio da gasolina, etc, para não me desmentir!   Ao longo das últimas décadas, várias ruas de Recife tiveram sua rolagem ampliada para acomodar o aumento de carro nas vias, sacrificando calçadas, pedestres, árvores.  E é por elas que posto esse hoje.

Da semana passada para cá, o governo detonou palmeiras imperiais da Cruz Cabugá para colocar uma estação da linha norte-sul.  Hoje, o Jornal do Commércio dá conta de que as estações serão construídas em cima do canal da Avenida Agamenon Magalhães, e que por isso, uma parte ou todas as 300 árvores existentes ao longo do canal, correm o risco de serem removidas. Cortadas.  Eliminadas para NÃO AFETAR O TRÁFEGO DOS CARROS.

Sim, porque admitindo que o discurso do estado de que a prioridade é o ônibus e a bicicleta, porque destruir algo que torna a cidade melhor? Porque não tomar uma faixa ou duas da Avenida e impor um sistema de transporte público decente, e uma ciclovia sob as árvores, as já conhecidas como CICLOFRESCAS?!

Porque o IMPERADOR CARROCRATA não quer atrapalhar o tráfego dos seus cidadãos-carros...

E por conta de 20% que usa o carro, claro, com ar condicionado, os outros 80% se lascam no calor do Recife. E não me venham dizer que vão plantar árvores em outros locais.  A Agamenon precisa mesmo de uma requalificação, mas precisa primeiro é de uma decisão de homem!  Se deixar dominar pelo carro é solução velha, caquética, insustentável e demagógica.   Coisa do início do século XX e incompatível com a situação atual!

A cidade pode, mas a cidade quer?

COMENTEM!!!!

16 de setembro de 2013

UMA BOA IDÉIA...

ESPELHO REARVIZ (grosseiramente VISÃO DAS COSTAS?!)...
Amigos...

Idéia de um australiano, esse espelho é simples e se prende ao braço ou antebraço. Tem também uma local para registro de tipo sanguíneo, alergias, telefones de emergência. Custará entre 30 e 40 dólares.

Eu achei a ideia legal, conceitualmente, mas achei o design ruim para nós, recifenses. Vai ser quente para caramba, e ainda vai deixar a gente bronzeado com OUTRA faixa no braço.  Também poderia conter um relógio de pulso ou um ciclocomputador, assim era uma coisa só para ter e proteger quando parasse a bike em algum lugar.  Também achei caro, coisa de inglês, mas com certeza os chineses vão fazer uma "versão" baratinha logo, logo!

Fonte: DAMM GEEKY, via BEM LEGAUS!

COMENTEM!!1

15 de setembro de 2013

CICLOFAIXA MÓVEL - ROLÊ NO DOMINGO DE SOL!

Amigos...
 Algumas fotos que captei hoje na Ciclofaixa Móvel, quando atravessando Santo Amaro. Destaque para o trabalho de grafitti de Galo de Souza, novo na Avenida Mario Melo. Bem a propósito, o muro do Cemitério de Santo Amaro foi pintado com o tema bicicletas. Meio irônico o ato de pedalar pintado em um cemitério, mas enfim, ótimo trabalho.

Além disso, fui ver a saída do APS, onde nosso colega GABRIEL "SEM FREIOS" estava com a corda toda. Um capacete meio nazi, com correntes de bique fazendo um "moicano" e uma bicicletinha vermelha na frente. De quebra, sua bike HIPSTER, sem freios, sem câmbios, e super basicona, mas com uma chamosa bolsa de couro na frente!

Para completar, encontrei também Marcílio "SNIPER", com sua Willier com quadro de carbono, uma máquina! Mas como essa bike é estradeira, não tinha o mínimo cabimento coloca-la nos morros de Olinda. Marcílio não foi no passeio! Olhem algumas fotos!

COMENTEM!!!

BIKE-PE AQUI EM CASA, PRATICAMENTE!



Amigos...

Ontem estava um caminhão da Serttel parado na frente da Poli/UPE, junto ao Clube Internacional na Madalena.  Hoje cedo, mais uma estação de aluguel da BIKE-PE "brotou" do solo!  Olha a foto... É a mais perto de minha casa.

Observo um crescimento das oportunidades que a BIKE PE está trazendo.  Aos poucos oferece uma alternativa para quem não tinha nenhuma.  Vc vai ali, legal, vá de bicicleta. Pega aqui, deixa ali, não se preocupa.

Espero que isso traga mais ciclistas, especialmente entre os estudantes da UPE, para o lado das bikes!

ATUALIZANDO... HOJE, SEGUNDA FEIRA 16/set/2013, descobri que colocaram outra estação BIKE PE, aqui perto. Está localizada em uma rua transversal da Caxangá, vizinho ao banco Santander e numa vaga a beira do canal. Legal! Quanto mais, melhor!

COMENTEM!!!

12 de setembro de 2013

É PRECISO MAIS...

Amigos...

Inegável o aumento de ciclistas indo ao trabalho de bike. Todos os dias, observo novos trabalhadores indo para seus afazeres em cima da magrela, leio sobre isso em blogs, páginas do facebook e na mídia.  A bicicleta tem alcançado o nível de paixão dentre os usuários simplesmente porque é mais rápida, mais limpa, deixa o ciclista menos estressado, faz ele ver a cidade com outros olhos, e até, por tudo isso e mais alguma coisa! Acredito que uma parte dessa mudança de comportamento está na observação de que muitos mitos sobre pedalar no Recife são isso mesmo, mitos.  Relembro esse arquivo, sobre AS RESPOSTAS A DESCULPAS COMUNS  sobre pedalar para o trabalho. Essa observação acontece quando você experimenta a bicicleta, e não podemos negar que a ciclofaixa móvel fez muita gente experimentar o prazer de pedalar.  Daí para querer fugir do tráfego pedalando, é um pulo! 

Mas agora com os ramais conhecidos e visitados, queremos mais.



Bicicletas amarradas nos corrimãos da Agência da Caixa Econômica Federal na Cidade Universitária.
Essa cena tem se tornado muito comum com o aumento dos usuários de bicicletas na cidade,
como visto em post anterior.

E não só as prometidas ciclovias e ciclofaixas.  Queremos uma lei que obrigue os donos de negócios a colocar paraciclos e bicicletários primeiro nos novos negócios, e depois gradativamente, nos antigos.

A cidade continua carente de paraciclos nas portas dos negócios, para estimular o uso da bicicleta para fazer compras.  Não temos bicicletários decentes.  Só recentemente um dos bicicletários, o do Shopping Riomar, adquiriu o status de 5 estrelas, ao estabelecer vigilância e controle dos usuários, inclusive dando um ticket ao proprietário.  Ao fazer isso, elevou a bicicleta ao nível de veículo no reconhecimento empresarial.  Que ela é veículo no CTB todo mundo sabe, mas poucos empresários tratam ela como tal, e precisamos reconhecer que guardando e ainda dando prova de que está guardando, o Riomar subiu um degrau!

A cidade então agora está cheia de bikes de aluguel, usadas demais, mesmo com esse longo período de chuvas.  Mas não tem onde parar as bicicletas, e as ciclofaixas até agora não entraram nas ruas de forma permanente.  Infelizmente, a Prefeitura continua sem receber o selo de Amiga dos ciclistas!

COMENTEM!

7 de setembro de 2013

UMA BUZANFA CONCRETA! KKKK

Amigos...

Eu nada tenho contra quem quiser pedalar pelado. Desde que não seja a minha em cima do selim, cada um que cuide da sua buzanfa! kkkk... Mas claro, não poderia deixar de prestigiar a PEDALADA PELADA que marcaram para hoje no centro do Recife.  Lá fui eu, cheio de cuidados, porque a polícia e o ministério púb(l)ico ameaçaram "prender e arrebentar"  quem ousasse ferir a "moral" e os "bons costumes".  Altamente irônico isso, sem mais comentários!

Bem, mas só uma buzanfa deu as caras por lá!  Olha a foto dela! KKKK Uma buzanfa de concreto!


CONCRETAMENTE?  FOI A ÚNICA BUZANFA DE
CORPO PRESENTE NA PEDALADA PELADA!

Frustração total.

A polícia de "cacete em riste" sem nenhuma buzanfa exposta para satisfazer suas necessidades repressivas.  Até helicóptero usaram!

Dúzias de fotógrafos com suas lentes enooooorrrmmmeeesss prontas para captar todas as ações repressivas e expositivas.

A imprensa toda perdida, sem assunto.

Nãaaoooo!!!  Sempre tem o fato de não ter aparecido ninguém. Mas é muito menos emocionante que umas cacetadas nas buzanfas alheias, uns pingolins oprimidos, uns air-bags suavemente expostos ao sol! 

Pena, não foi dessa vez que "buzanfas recifenses viram a luz"! kkkkkkkkkkkkkkk

COMENTEM!!!

EM TEMPO... http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/09/ciclistas-seminus-se-juntam-ao-grito-dos-excluidos-no-centro-do-recife.html

30 de agosto de 2013

QUAL O SEU TIPO DE CICLISTA?

Amigos...

Recente estudo da Universidade McGill em Montreal, Canadá, definiu quatro tipos de ciclistas que dominam nossas cidades.  Apesar de que as pessoas podem achar ruim esse tipo de enquadramento, ele ajuda a planejar melhor os esquemas de inclusão das bicicletas nas cidades.  Ajuda planejadores urbanos, engenheiros de transportes e políticos que aprovam esses esquemas!

Esse estudo incluiu 2.000 ciclistas que ao final foram agrupados em quatro tipos:

1) OS CICLISTAS DE CICLOVIA - Cerca de 36% dos entrevistados são motivados pela alegria de pedalar, sua conveniência e por se identificar com o ciclismo em si.  Eles preferem pedalar em caminhos contínuos ao invés de disputar espaço com os carros, e geralmente foram estimulados pelos pais a pedalar para cuidar da saúde ou ir a algum lugar.

2) OS CICLISTAS DEDICADOS - Cerca de 24% são motivados pela velocidade, controle e flexibilidade que a bicicleta oferece.  São pouco afetados pelo clima, não gostam de pedalar em ciclovias e preferem disputar espaço nas ruas. Os pesquisadores concluiram que esses ciclistas consideram pedalar parte importante de sua identidade.

3) OS CICLISTAS DE TEMPO BOM - Cerca de 23% dos entrevistados pedalam com o tempo bom, não gostam de pedalar na chuva e na neve (Montreal neva que é uma beleza!).  Nesses climas, ele adotam outra forma de transporte. São também usuários de ciclovias e não se veem como ciclistas.

4) OS CICLISTAS DE LAZER - Categoria com 17% dos entrevistados, que pedalam para se divertir, não comutam, gostam de ciclovias, querem se sentir seguros especialmente se estiverem pedalando com pessoas da família.

Baseado nesses resultados os pesquisadores que lidar com uma forma única de planejar para a bicicleta pode não ser a melhor forma de atender a todos os tipos de usuários. Enfatizar os benefícios sobre a saúde, por exemplo, é importante para ciclistas iniciantes ou que precisam desses benefícios, mas altamente desnecessário para quem já encara as ruas de bicicleta todos os dias!

Eu já me enquadrei... e vc?

COMENTEM...


Baseado na matéria publicada na Forbes. Via Urban Velo.
Tradução e adpatação: Rogério Leite @ 2013.

29 de agosto de 2013

EXEMPLO NEGADO!

Amigos...

Dizem que o processo mais eficiente de aprendizado é o exemplo. Você mostra como fazer, e a pessoa aprende. Em praticamente todo mundo, as universidades são centros de aprendizado, investigação e crescimento humano.

Não na UFPE.

Em termos de mobilidade, a UFPE é uma universidade muito antiga, da década de 60 ainda.  Muitas avenidas largas, ruas movimentadas com muitos carros, visão da Era do Automóvel.  Conceito que baixou de vez no Brasil com a chegada da fábrica do Fusca!

Calçadas decentes em todo o campus? Ciclovias e ciclofaixas tanto para acesso ao campus quanto para circular dentro dele? Paraciclos e bicicletários em todos os centros? Acesso diferenciado para cadeirantes e idosos? Sinalização pro-pedestre? Nada disso existe decentemente na UFPE.

Mas para os carros e ônibus sobra infraestrutura e "liberdades".  Carros estacionam em qualquer lugar, e ônibus correm em velocidades incompatíveis com o fato de estarem trafegando em um espaço escolar.  Afinal, uma universidade ainda é uma escola!

Mesmo assim, muitos alunos usam bicicletas, muitos ainda andam no campus. Vejam algumas fotos de paraciclos e bicicletários improvisados no CCEN, Centro de Ciências Exatas e da Natureza, sede dos departamentos de Física, Química, Matemática, Estatística e vizinho ao Centro de Informática.

Corredor CCEN/CIN/DQf

Acesso ao DEMAT/CCEN

DQf, CORREDOR DOS LABORATÓRIOS

O campus precisa passar por uma ampla reforma que privilegie calçadas em todas as quadras, com acessibilidade para cadeirantes, idosos e deficientes visuais.  Precisa impor normas rígidas de controle de velocidade e fiscalizar isso, com câmeras e guardas.  Precisa Inserir a bicicleta no dia a dia da universidade, prevendo conexão com os corredores Leste-Oeste e BR101 do BRT, e criando uma infraestrutura de integração geral das linhas.

Esse trabalho seria um exemplo para o Recife.

COMENTEM!!!

28 de agosto de 2013

SUOR...DIZEM QUE FEDE!

Amigos...

O meu é de rosas! kkkk

Estava fuçando o que rola nos blogs que acompanho e me deparei com esse post no SUBURBAN ASSAULT, um blog texano sobre uso da bicicleta no dia a dia, indo ao trabalho. O problema de pedalar para o trabalho é sempre de chegar suado e logo em seguida, começar a feder! Ninguém gosta de trabalhar com alguém cheirando a defunto morto! Eca!

Tenho observado mais e mais gente indo ao trabalho de bike, muitos vão de roupas de ciclista, bermudinhas com almofadas, etc... Mas muitos vão vestidos como trabalham.  Tenho observado muitos de jeans.  Segundo outros autores, a solução é pedalar com uma cadência menor.  O calor do Recife é úmido, eu suo só de vestir a roupa, imagino pedalar com jeans!  Então esse assunto sempre me interessou.  Não tenho muito problema com o trabalho porque tem infraestrutura na UFPE para tomar banho. Mas fico imaginando ir de bike ao cinema, um ou dois quilômetros de distância, e quando chegar lá, ficar fedendo.  Namorar assim é dose, e no meu caso, impossível.  Minha namorada manda logo eu passear! KKKK

No post do SUBURBAN ASSAULT, o autor sugere toalhinhas umedecidas para uma geral, seguida de um desodorante natural de hamamélis com essência perfumada.  Nem sei se é possível encontrar hamamélis por aqui, mas é uma ideia. Nos comentários, sugeriram também leite de magnésia.  Tem o clássico LEITE DE ROSAS.  Mas todas essas soluções para mim são ruins. Fica sempre faltando a sensação de banho tomado! 



O assunto também foi abordado em outra matéria aqui com mais ideias.

E vc tem alguma ideia para combater os odores depois da pedalada? Ou sai fedendo quem nem defunto e os outros que se virem?

COMENTEM!!!

27 de agosto de 2013

AINDA AJUSTANDO...

Amigos...

Afinal fez um dia limpo para eu ir testar a TROVÃO AZUL depois de montada. Mesmo legal, ela ainda precisa de uns ajustes, o joelho ainda ficou doendo. Não está assim, 100%. Mas já deu para matar a vontade de pedalar na cidade. Ainda tive a companhia da adorável Helena, minha namorada, que experimentou o sistema de aluguel de bicicletas BIKE PE. Domingão de sol, ciclofaixas de lazer lotadas, quase nenhuma BIKE PE disponível nas estações do centro. Afinal achamos uma na Praça do Diário de Pernambuco e conseguimos ir até a Praça do Entroncamento, onde devolvemos a bike alugada. O sistema ainda tem gargalos, especialmente nesses domingões de sol! Olhem as fotos...

Antes passei na Jaqueira para ver o pessoal do APS sair para o longão, e no Marco Zero, enquanto esperava Helena, encontrei o Dr.Stefan Welkovic, médico e colecionador de bikes (mais de 115!) e Maxwell Araújo, advogado, e ficamos de papo vendo o intenso movimento no Marco Zero!  Ótimo domingo!

Aqui na saída do APS para o longão, na praça da Jaqueira!

Guararapes


Pose... com o novo quadro!
COMENTEM!!!

19 de agosto de 2013

PRECISA MUDAR O TAL PARADIGMA...

As estrelas são INCONTÁVEIS, mas um planeta como a TERRA só tem um!
(Os cientistas calculam que existem mais, mas por perto, acessível e conhecido, até agora não apareceu nenhum!) 

Amigos...

Estamos constantemente em transformação.  O mundo não para e as pessoas também não.  Algumas décadas atrás, o bom era ter carro, o sonho de consumo de pessoas que pensavam em um mundo totalmente voltado para a locomoção pelo automóvel. Inspirado pelos americanos, pela ótica da velocidade, do fazer rápido, do ser eficiente. Devotamos toda a sociedade para a velocidade, para as auto-estradas, cheias de viadutos, pontos, acessos e estacionamentos.  A calçada era supérflua, a vida passava correndo e era imperativo ganhar e consumir.

Como tudo que é levado ao extremo, um dia pipoca, então é isso, está tudo pipocando.  Vivemos afinal em um mundo finito. Não dispomos de dúzias de planetas para explorar e qual formigas, destruir para crescer nossa população.  Os recursos naturais estão chegando ao fim das possibilidades de consumo exagerado.   Não tem mais sentido usar um carro para ir na esquina comprar pão. Não porque não possamos, mas porque o planeta não comporta isso.  O planeta que as pessoas irão deixar para seus filhos e netos, agora está lotado, quase exaurido. E temos de mudar, a começar com a gente mudando nossos hábitos diários.

Quando defendo a bicicleta e as calçadas, acho que defendemos a vida. A nossa e de nossos descendentes. Precisamos sair da atual zona de conforto, mudar esse paradigma de dependência exagerada do automóvel, deixar de aceitar e devotar o espaço público a ele, e resgatar a cidade para as pessoas. Andar mais devagar, consumir menos, gerar menos lixo, reciclar o que for possível e reduzir nossas pegadas na natureza.  Talvez sobre algum planeta para nossos bisnetos...talvez!

ATUALIZAÇÃO....E veja porque estamos assim!

COMENTEM...

16 de agosto de 2013

ENTÃO É ASSIM QUE SE FAZ....


Amigos...

Achei esse vídeo interessantíssimo porque junta duas paixões minhas, bicicleta e fotografia! Mostra um pouco da forma de trabalho do fotógrafo Jeff Curtes, que foi ciclista durante anos e que recentemente começou a fotografar ciclistas. Ele registra imagens da equipe Speedvagen de ciclismo de estrada. Adoro imagens captada em grandes provas de estrada, o colorido, os ângulos. E nesse vídeo podemos ver como os fotógrafos trabalham e quanto trabalho dá para obter boas fotos desse tema!

Aprendi um pouco mais!

COMENTEM!!!

15 de agosto de 2013

E A GENTE "CHORANDO" UMA CICLOFAIXA!

Amigos...

Notícia fresquinha, retransmitida por tantos sites, desde o Gizmodo em italiano, até o CicloVivo e o Yahoo em português, dá conta que a Alemanha vai construir uma SUPERCICLOVIA, uma versão de autoestrada para bicicletas, entre Dortmund a Duisburg, com 60 quilômetros de extensão.

Click na imagem para aumentar! Ou vá nesse link do Google Maps para ver melhor!
E a gente aqui no Recife querendo apenas faixas PINTADAS nas principais pistas que já existem cobrindo toda a cidade! 

Você já imaginou o que seria se as grandes avenidas do Recife tivesse uma faixa exclusiva para os ciclistas? Eu já e gostei da idéia!

COMENTEM!!!

14 de agosto de 2013

NASCEU...É UM MENINO....

MOMENTO NO "PARTO"... pelas mãos de "Dr Lula" lá na Bibike, nasceu o TROVÃO AZUL!

Com o novo quadro GIOS BR RALLY, agora esperando pedaladas memoráveis!
Amigos...

É com "emoção contida" que anuncio o "nascimento" do TROVÃO AZUL, minha mais nova bicicleta, companheira de muitos futuros passeios!  Com quadro 20", marca GIOS BR, modelo Rally, ela está pronta para os primeiros testes operacionais.  Não irei colocar ainda os bagageiros para poder corrigir qualquer erro de montagem que perceba durante o uso!

Já dei um rolê na garagem do prédio e está beleza, macia, ágil e bem confortável... agora é ir para rua! Em breve!

COMENTEM!!!

13 de agosto de 2013

SIMPLES ASSIM...


Amigos...

Não é difícil entender porque precisamos mesmo repensar nossa mobilidade. Tenho amigos que perguntam sobre a bicicleta, que dizem que não é possível pedalar nas nossas cidades. A verdade é que o uso de outros modais é muito mais necessário do que pensamos.  Nesse vídeo, se mostra o custo do uso do veículo não para o usuário ["EU COMPREI O CARRO, AGORA QUERO USAR, E POSSO PAGAR POR ISSO!"], mas para toda a sociedade de seu bairro, sua cidade, seu estado, seu país, para nosso mundo todo.  Eu sei que o automóvel tem uma enorme função social ao manter uma cadeia de empregos e um fluxo de recursos em escala impensável.  Acho impossível que alguém compute todo o impacto de deixarmos do dia para a noite de fazer, vender, consertar, manter, alimentar, comprar e satisfazer instintos bestiais com o uso do automóvel.

Mas a conta para manter isso tudo, o contrapeso dessa balança destruidora, já passou do ponto!

COMENTEM...

12 de agosto de 2013

A GENTE QUER IR E VIR...


Amigos...

Tudo que a gente gostaria é que o Recife fosse parecido com a São Paulo DESSA CAMPANHA, e não com a verdadeira São Paulo, uma cidade enlouquecida com quilômetros de engarrafamentos e problemas de tráfego para pedestres e ciclistas.

Tudo que a gente quer é poder ir e vir em paz, sem riscos de morte!

Simples, né!

COMENTEM!!!

11 de agosto de 2013

Ei, a FAIXA É NOSSA, ciclista!


Se desejar parar a apresentação para ler as legendas, passe o mouse em cima e pause o slideshow! 



Amigos...

Quem acompanha o Pedalando & Olhando sabe que eu sou um grande defensor da Ciclofaixa Móvel do Recife. Já fiz vários posts, costumo usa-la para ir fotografar, curto mesmo a ideia.  Acredito nela como difusora de bons hábitos de convivência entre motoristas e ciclistas!

Mas ela também precisa educar os ciclistas quanto ao relacionamento com os pedestres.
Sem bike momentaneamente, como visto no post anterior, fui andar hoje cedo nas cercanias da Jaqueira, Rui Barbosa, Amélia e Rosa e Silva. Fui Andando & Olhando, fotografando e conversando sobre a mobilidade.

Vemos que muitos ciclistas ainda precisam aprender a respeitar à lei.

Faixas de pedestres mesmo cortadas pela ciclofaixa ainda continuam sendo para os pedestres atravessarem em segurança!  E isso não vai mudar, mesmo com a cidade cortada por vias para bicicletas! Se queremos respeito dos motoristas não podemos nos esquecer que temos de oferecer o mesmo respeito ao pedestre. Simples assim!  Vejam algumas fotos e pensem...




COMENTEM...

10 de agosto de 2013

RÉQUIEM PARA A VIÚVA NEGRA!

Olha onde quebrou a "coluna vertebral" da Viúva Negra!
Amigos

É com TRI$$$TEZA no bol$$$$o que informo a morte da VIÚVA NEGRA.  Descobri hoje que a "coluna vertebral" dela partiu.  Ela ficou perigosamente "paraplégica"! Adeus, VIÚVA!

A minha história com a Viúva começou quando voltei a Recife em 2008, e decidi comprar uma bike para fazer "uns passeios" e reatar amizades antigas com JOÃO REINALDO e TIÇA PROTA, JOÃO VIANNEY, ANDRÉA, todos amigos de infância e de pedal!  Disputava pegas com minha MONARK GALAXY contra a CALOI TIGRÃO de João Reinaldo. A Galaxy foi minha primeira bike, branca e vermelha!  Pedalava com a MONARK MONARETA azul e depois com a MONARK 10 azul também com João Vianney! Longa história.  Foram minhas bicicletas no Recife antes da Viúva, mais de 30 anos depois!

Comprei uma bike para dar umas voltinhas, não pensava em nada ostensivo. Mais gamei, virei fã, defensor da causa, editor de CICLOBLOG!  Quando fui compra-la, escolhi um bom quadro, OXY, um bom selim, e o resto foi ching-ling para não gastar muito.  A bike custou 650,00 em 2008.  Aos poucos fui trocando uma peça aqui, outra ali, tudo peça boa, Shimano de preferência.  Hoje ela tinha Grupos Altus e Alívio, bem ajustadas e que dão pouca manutenção e desgaste.  Vou reaproveitar tudo na sucessora que um dia virá, espero que logo!

A VIÚVA NEGRA está morta! 

COMENTEM!!!

OBS: Em breve volto com outras histórias. Break rápido!

5 de agosto de 2013

UM DIA, É TU CABRA!


Na Irlanda é assim...

COMENTEM!!!

Via: VÁ DE BIKE.

4 de agosto de 2013

TROCANDO AS PERNAS...



Amigos...

Hoje fui fazer uma parte da nova perna da CICLOFAIXA MÓVEL, que atende desde a Lagoa do Araçá, lá pelos lados da Imbiribeira, até o Paço da Alfândega no Centro Histórico. 

Primeiro precisei usar a perna NORTE da ciclofaixa e pedalar também na rua sem ciclofaixa indo até o Espinheiro. Depois retornei e peguei a perna OESTE na frente da sede do Sport, na Ilha do Retiro.  Segui então observando as via até o Paço.   A primeira coisa a notar é que a perna OESTE ainda não é muito conhecida. Na mesma faixa horária, a perna NORTE estava muito mais cheia que a perna OESTE.  Ademais, a nova perna OESTE passa por uma variedade bairros comerciais e residenciais, muitos de baixa renda. Poucos se animam em fazer 10 km para chegar ao centro.  Mesmo assim, está lá e vamos usando!

Afora uma baixa de qualidade no asfalto, especialmente nas cercanias da Praça Chora Menino e na Manoel Borba, onde fica extremamente irregular.  A passagem pelas Ruas Nova e Imperatriz, eu pessoalmente acho irresponsável e uma boa perda de oportunidade de percorrer ruas corretas, e não ruas de pedestres.

O trecho mais problemático é a chegada ao Paço da Alfândega e sua integração a perna SUL.  A perna OESTE se acaba e não tem para onde seguir do outro lado, mesmo que possamos ver os ciclistas passando na perna SUL.  Simplesmente não ligaram uma perna na outra. AINDA!

De resto a ciclofaixa móvel oferece uma boa alternativa adicional com a nova perna OESTE, especialmente para se fugir alternativamente da lotadíssima perna NORTE. Aproveitem!

COMENTEM!!!

31 de julho de 2013

FIÉIS ESCUDEIROS

Caríssimos FIÉIS ESCUDEIROS do Pedalando & Olhando, aqueles que sempre olham aquilo que pedalo aqui! 

O Google, em sua finita sabedoria, mudou alguma coisa no Blogger.  O nome de vcs não aparece mais no FIÉIS ESCUDEIROS, e sabe-se lá se aparecem em algum lugar, se estão ainda recebendo informações desse blog ou não!

No Blogger eles disponibilizaram essa nova conexão via GOOGLE+.  Então para garantir a assinatura de vcs, eu inclui essa possibilidade tb no P&O.  Esse GOOGLE+ exige que vc tenha um perfil no Google+ para ser validado e estar na minha lista, sinto muito por isso!

Se vc ainda tiver interesse em acompanhar meu blog, minhas loucuras e textos malucos, sinta-se a vontade para ASSINAR, NÃO ASSINAR, OLHAR SEMPRE OU APENAS VISITAR de vez em quando, você escolhe!

Obrigado pela sua fiel companhia, e vamos pedalando!

COMENTEM!

30 de julho de 2013

A MORTE NOS CAI BEM...

Amigos...

'Tá, o tema 'tá meio sinistro mesmo!  Mas é uma lembrança forte para quem desistiu de lutar por seus direitos. Temos muitos cicloativistas lutando pelo uso da bicicleta como veículo no dia a dia. Mas temos poucos lutadores por um transporte público de qualidade, por calçadas para todos os tipos de pedestres e por uma divisão mais justa do espaço público das ruas.  O que mais observamos são os "bois de piranha", gente que anda pelas ruas pensando em seus próprios problemas: "meu problema é atravessar essa rua, não importa que a CTTU não pensou em mim, na minha mãe idosa ou no meu primo paraplégico. Eles que se lixem".  Estou exagerando? Não, infelizmente não!

Observo com frequência que quando reclamo, as pessoas nas mesmas condições que eu ficam me olhando como se eu fosse uma aberração.  A CTTU faz uma merda, todo mundo passa ali e vê a merda, eu reclamo da merda, e todo mundo fica olhando para mim ao invés de engrossar a reclamação. E isso para tudo.  A sociedade atual é uma "grande manada de bois de piranha" sempre dispostos a qualquer sacrifício sem reclamar, sem cobrar das autoridades os seus direitos. Quem observa e cobra é tido como um louco, um candidato a turma do deixa-disso.

As recentes manifestações mostraram que é possível conseguir melhoras para a sociedade. Mas para isso é preciso "bater panela" todo dia se for preciso, até acordar o tal "gigante", despertar as pessoas para merda em que se vive enquanto os nossos representantes se regalam com tudo de bom e do melhor... enquanto isso não acontece, vamos sendo mortos nas ruas, assaltados nas esquinas, ferrados no fim do salário mensal.

Quietos e calados, como "bois de piranha", para quem a morte cai bem...

COMENTEM!!!

28 de julho de 2013

MÃO DIREITA X MÃO ESQUERDA...

Corredores usando parte da
CICLOFAIXA MÓVEL 3a PERNA (Lagoa do Araça - Marco Zero).

Fotos e mais fotos no meu face: Gero!


Amigos...

Entra administração, sai administração, e a mão direita da prefeitura não conversa com a mão esquerda.  Hoje mais um exemplo: inauguração da terceira perna da ciclofaixa ligando a lagoa do Araça com o Marco Zero, e ao mesmo tempo, THE COLOR RUN, uma corrida-caminhada de 5 quilômetros com muito pó colorido em cima dos participantes. 
Nada contra nada, cada um no seu quintal. 

Mas usar um pedaço da ciclofaixa como via para os corredores SEM AVISAR AOS CICLISTAS, não é de bom tom.  A ciclofaixa carecia também de avisos dizendo por onde começava.  Na ida, um trecho da ciclofaixa foi desviado pela Rua da Aurora para se integrar a ciclofaixa norte na Ponte Princesa Isabel.  Um T complicado. Acho que alguém percebeu e viu que era "melhor" misturar os dois eventos do que engarrafar a ciclofaixa norte-sul toda nesse cruzamento!  Na volta, a ciclofaixa seguiu o roteiro anunciado, Siqueira Campos, Praça do Diário, Dantas Barreto, Rua Nova, Ponte da Boa Vista, Rua da Imperatriz, Manoel Borba...

Era bom o prefeito chamar as "peças" responsáveis e botar os dois dentro de um quarto fechado para uma DR com eles... a coisa fica feia assim!

COMENTEM!!!

25 de julho de 2013

METRÔ, BUSU OU BIKE? BIKE COM TODA CERTEZA!

Amigos...

Tem dias que existem para lhe trazer certezas!  Hoje foi o dia em que eu adquiri a certeza de que o Recife NÃO TEM nem METRÔ nem ÔNIBUS.  Eu já andei de metrô em várias capitais do mundo. Aquilo que chamam de METROREC pelo amor de Deus!  É deprimente, é desumano, é sacanagem com quem precisa. Quem achar que sair do trabalho às 16h garante um lugar vazio naquilo, desista.


PLATAFORMA DO "METRO" PARA CAMARAGIBE E JABOATÃO
na Estação Central do Recife.
A massa é tão compacta já na plataforma  que quando o trem chega, estoura uma manada de gente desvairada, procurando sentar para a longa jornada.  Quem pensar em pegar o metrô por poucas paradas, esqueça!  Peguei o trem na Estação Central do Recife, rumo a Afogados, apenas duas paradas à frente.  O trem saiu bem, nem ficou tão lotado assim, mas quando chegou na estação Joana Bezerra parecia que o mundo tinha acabado ou que o apocalipse ZUMBI tinha começado. Era um mar de gente querendo entrar, espremendo quem estivesse no caminho.  O sistema é caótico, não abre portas de lados opostos para saída e entrada, simplesmente porque não foi pensado para tanta gente.  É tanta gente entrando que sair só se for feito eu, na marra, usando 125 kg de músculos e vontade!  No peito e na raça! 

Enfim, consegui descer e chegar a integração com o PE-15.  Definitivamente, fiz xixi na cruz!  Entrei na fila com umas 10 pessoas, que cresceu até umas 50, abriu uma segunda fila, isso tudo antes de um único ônibus chegar.

Terminal de Integração de Afogados, filas da linha 914 - PE15-AFOGADOS
A FILA 1 (A ESQUERDA) E A FILA 2 (A DIREITA)...
 
E o povo ali, passivo!  O fiscal da Grande Recife no maior papo com a cabeça da fila, e a fila crescendo!  Aí encostou 2 ônibus ao mesmo tempo.
Começo da fila...

E se eu tivesse topado, teria pego algo assim no PE15!

Nesse momento, cansei.  Sai e peguei outra linha mais rápida e sem tanta gente.

No trajeto vim pensando em como tudo isso podia ser mais simples se uma grande parte dessa massa fosse de bike, sem transito, sem loucuras, sem apertos e sem sufocos.

Se o sr Prefeito e o sr Governador, a exemplo do PRIMEIRO MINISTRO INGLÊS, usassem o metrô, isso não ia ficar dessa forma!


Primeiro Ministro INGLÊS, David Cameron, no METRÔ de LONDRES!
DUDU, vem para o METROREC você também, vem!



COMENTEM!!!

DE OLHO NA BIKE



Click nas imagens e veja as fotos ampliadas no PICASA NA WEB!
Ei, QUER SUA FOTO AQUI TAMBÉM? Se tiver bicicleta nela, vale! Mande com uns 800 pixels de largura maior para CONTATO.RL@GMAIL.COM, com marca d'água, nome, email e/ou telefone. Atualizado todo final de semana.
No aguarde!

Original ROGÉRIO LEITE @ 2010